Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

iluminando

"Quem governa Portugal somos todos e não uma corte de iluminados em Lisboa" (António José Seguro, 23/07/2014)

iluminando

"Quem governa Portugal somos todos e não uma corte de iluminados em Lisboa" (António José Seguro, 23/07/2014)

Avançamos juntos, mas não para o mesmo lado

Tiago Barbosa Ribeiro, no Facebook: Carta a um Secretário-Geral

 

"[...]

Compreendo que ataques o teu partido quando não quiseste ouvir os militantes e já não tens a maioria dos presidentes de federação, dos presidentes de câmara, dos presidentes de concelhia, dos antigos líderes da JS, dos deputados e dos antigos líderes do PS, mas o processo de destruição em que estás empenhado, criando um partido novo e à tua imagem, é indigno de qualquer liderança. Dizes que não renegas a história do PS, excepto, presume-se, aquela que é anterior a 2011.

O teu discurso não representa o papel do PS na sociedade portuguesa. É um populismo basista, de pulsão fortemente personalista, que pulveriza o património do PS como grande partido reformista de esquerda. 

Até porque aí falhaste em toda a linha. Nesse «socialismo das pessoas» que agora inauguraste, ainda não percebi a posição que assumiste sobre o Tratado Orçamental, as abstenções - violentíssimas, superlativas - em Orçamentos de Estado brutais para o país, um Código Laboral desigual e penalizador do Trabalho e, entre tantas outras coisas, a baixa de IRC para empresas sem uma reforma do IRS: será um socialismo das pessoas colectivas?

Ao longo desta campanha interna demonstraste que já não está em causa uma avaliação política sobre a direcção do PS ao longo de 3 anos (errática, na minha opinião), mas sim o resgate do próprio PS, que ainda é o Partido Socialista e não o Partido do Seguro, afastando-o em absoluto de uma deriva radical e populista que o atirará para as margens do sistema político.

Recuso-me a apoiar qualquer Marinho e Pinto, mesmo que esteja disfarçado de líder do PS.

[...]"

 

 

Autores

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D